sábado, 9 de agosto de 2008

Auto-Retrato

Me apresento...
Como alguém que as vezes tenta passar o que sente,
Quando não sente pelo que passa...
Um ser aliterante,confuso, as vezes demasiadamente enfadonho,
´Poeta pouco sofisticado, não-rimador,
Sofisticação é tarefa a hábeis literários,
Sou apenas um físico arriscando escrever poemas...

Pouco objetivo, com minha subjetividade poética exagerada
Tentando, inabilmente expressar, com palavras de pobre complexidade,
A riqueza de algumas idéias minhas,
Que de tamanha “riqueza”,perdem seu valor...
Então...
Sou um físico alucinado,
Um desenhista desleixado,
Um poeta descompromissado,
Ideologicamente,não posso me definir de forma sólida,
Pois só consigo defender uma idéia até o momento que suas contradições as tornam insustentáveis.
Como já disse...
Minhas palavras, mesmo não aparentando,
Estão quase sempre densamente carregadas de significado,
O que pra minha infelicidade, tornam minhas frases confusas e desconexas,
Ironicamente por terem infinitas conexões,
Mas tudo isso tem um motivo:
Sou um ser de múltiplas faces,
Que tem a difícil tarefa de sintetizar todas elas num único “eu”
Isso me contradiz,
Pessoas diferentes sempre tendem a divergir...
Por tudo isso, sou eu
Meu maior adversário,
Meu maior crítico,
Meu melhor amigo.


Daniel Marchesi de Camargo Neves